Notícias

Nosso protesto na Câmara de Vereadores

Encerramos a semana indignados com a aprovação dos vereadores ao  calote do Iprev. A repercussão foi grande em nossas redes sociais, mas se você ainda não viu o nome dos traidores, aqui no nosso site trazemos as fotos de cada um, para ninguém esquecer de rejeitá-los. Nós protestamos em todas as sessões ocorridas na Câmara de Vereadores, mas nossas manifestações não comoveram os veradores.  Enfim, no último dia 8/10, foi autorizado um débito de R$ 50 milhões no cofre do Instituto. Pegando carona na brecha de uma lei que permite suspensão de 10 meses da contribuição patronal, nossos parlamentares legalizaram o rombo. Na verdade a única possibilidade de suspensão é quando há comprovada dificuldade fincanceira, o que não é o caso de Maceió - é das poucas capitais com superavit. O Movimento Unificado dos Servdores vai buscar as vias legais para anular o absurdo. No intuito de amortecer a revolta da população, os vereadores mentem dizendo que a aprovação do projeto foi a condição para que o 13º dos servidores seja liberado. Generosos, não? O 13º é nosso por direito. A prefeitura tem obrigação de pagar, não é favor. Os recursos em conta permitem que sejam pagos com folga tanto o décimo como a contribuição patronal do Iprev. Os servidores, que estão há oito anos sem aumento, tiveram reajuste na alíquota do Iprev (passou de 11 para 14%), enquanto a prefeitura diz que não tem condição. Tudo mentira.

 

compartilhe:

Veja também