Notícias

.

A Câmara Municipal de Maceió autorizou ontem (8/10), por 14 X 7, que o prefeito Rui Palmeira deixe de pagar a contribuição patronal ao Instituto de Previdência dos Servidores de Maceió dos últimos dez meses. O valor mensal é de R$ 5 milhões, totalizando, portanto, R$ 50 milhões – esse é o rombo a ser assumido pelo próximo gestor.   Em termos práticos, significa que foi dada a largada no processo que vai gerar, a médio prazo, a falência do Instituto de Previdência dos Servidores de Maceió. É sempre assim que começa: os irresponsáveis promovem o débito, e dão o primeiro passo rumo ao caos. Quem garante que o próximo prefeito vai pagar esse rombo? O perfil dos nossos gestores é de aversão a tudo que beneficia o servidor, daí ser grande a probabilidade de aumento do débito. Vai subir desastrosamente, até ficar de fato impagável. Depois vão dizer que o IPREV é deficitário, semelhante ao ocorrido com o INSS. Até o início do ano estava tudo quites, mas Rui Palmeira encerra seu mandado deixando esse marco histórico que será lembrado para sempre. Deu start à ruina do Iprev.

A contribuição dos servidores continua sendo descontada e repassada (assim esperamos) normalmente. Aliás, até teve aumento. O problema é apenas com o repasse da parte patronal. Mesmo a prefeitura estando com as contas em superávit, o prefeito deu seu jeito de convencer 14 vereadores a aprovarem esse absurdo. Entre outras coisas, ele usou uma brecha na lei da pandemia que permite a suspensão do débito no caso de haver comprovada dificuldade financeira no município, o que não há. Os traidores e criminosos acreditam que ficarão impunes. Eles apostam na inoperância dos fiscais da lei, e na omissão do povo, que afinal, ignora tudo, nunca se informa sobre a verdade dos fatos.

Como o próximo prefeito dificilmente vai pagar o rombo do IPREV, quem vai pagar? Os servidores. A categoria será prejudicada. Não haverá saldo suficiente para bancar as aposentadorias e benefícios, semelhante ao que já acontece com o AL Previdência e tantos outros institutos de previdência.  Esse é o legado deixado por Rui Palmeira. Ah, vale lembrar que os 14 vereadores responsáveis por esse absurdo estão em campanha pedindo voto para mais um mandato. São seguintes: Aparecida Augusto, Eduardo Canuto, Fátima Santiago, Zé Márcio, Ana Hora, Ib Breda, Kelmam Vieira, Mauro Guedes, Samyr Malta, Simone Andrade, Silvana Barbosa, Antônio Holanda, Chico Filho e Luciano Marinho. Vamos conscientizar a população.

compartilhe:

Veja também