Notícias

Trabalho médico no novo hospital é precarizado...

Enquanto o governador Renan Calheiros só fala maravilhas sobre o Hospital da Mulher, recem inaugurado, a classe médica se mantém reticente – e não seria pra menos, afinal, até agora tudo aconteceu na contramão do que foi reivindicado. No lugar de concurso público, foi feito um processo seletivo simplificado, e ao invés de salário compatível, foi imposto um valor irrisório. A promessa é corrigir essas distorções a partir do segundo ano. Já estamos contando os dias para cobrar. Muitas vagas não foram preenchidas no processo seletivo para o Hospital da Mulher devido entraves burocráticos. Dezenas de candidatos deixaram de anexar alguns certificados e outros documentos, gerando a desclassificação. Por causa disso, diversas especialidades não foram preenchidas, levando o gestor a adotar outros critérios para contratualização. Isso não justifica, entretanto, haver distinção salarial. O Sinmed lembra: é inadmissível que alguns médicos recebam menos que outros, além disso, no caso de haver um nivelamento, deve ser feito sempre tomando-se como referência o maior vencimento. Se seu colega receber mais, denuncie. Lutaremos para que o seu fique igual.

compartilhe:

Veja também