Notícias

Ainda sem acordo...

O Movimento Unificado dos Servidores de Maceió, do qual o Sinmed faz parte, mantém firme a rejeição ao PL do prefeito Rui e diz não haver possibilidade para se abrir mão de direitos, conforme foi ratificado na última reunião das lideranças sindicais com o secretário Reinaldo Braga (Gestão Pública). Ele recebeu um levantamento feito pelos servidores mostrando números que viabilizam não somente a manutenção do que já está implantado mas também um reajuste para a categoria, cuja data base já passou, foi em janeiro mas até agora não se fala a respeito. O secretário ficou insatisfeito pela falta de acordo, mesmo assim disse que vai analisar o relatório recebido. Ficou agendado para 6 de junho a próxima rodada de negociação. Aguardem.    

Os 4,17% referente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foram inclusos na Lei Orçamentária Anual (LOA), mas apesar disso não há data para entrar nos salários. Os representantes dos sindicatos, ao conversarem com o secretário Reinaldo Braga, e adjunto, Israel Lucas, entregaram um estudo com seis laudas, revelando dados incompatíveis com os que foram apresentados para embasar os Projetos de Lei, que prejudicavam os trabalhadores com a alteração do Plano de Cargos e Carreiras e do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais de Maceió.

Nós, servidores, pedimos um reajuste de 16,10%,  referente ao IPCA de 2018, que foi de 4,17%; e as perdas salariais acumuladas dos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018.

compartilhe:

Veja também